Terça-feira, 5 de Fevereiro de 2008

(45) Uma Aldeia de Viseu

Uma Aldeia de Viseu

 

No Vale da Ribeira situada,

Ao pé da serra encostada…

 

Aldeia da minha infância,

Outrora, alegre e divertida…

As crianças brincavam pelas ruas,

Nas ceifas, as pessoas cantavam

E aos domingos pelos verdes caminhos,

Os namorados passeavam.

 

No Inverno, parece perdida no tempo.

Apenas o relógio da capela interrompe

O silêncio que percorre as ruas desertas,

Onde permanecem histórias passadas,

Entre as velhas casas de granito…

Há muito tempo abandonadas!

 

No Verão, os filhos estão de regresso.

À noite, olha-se as estrelas,

Ouvem-se os grilos e o tempo é infinito,

Mas tudo muda ao acordar…

O dia tem mais ritmo, mais vida,

Até se ouvem os passarinhos a cantar.

 

Como filha, é sempre bom voltar

Onde as pessoas me vêm logo abraçar,

Mas tanta tradição se perdeu…

“À Minha Terra de Viseu!”

 

 

Dina Rodrigues

publicado por poesiaemrede às 23:16
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De RAMA LYON a 23 de Fevereiro de 2008 às 15:20
Depois de ter lido o seu poema, ficou-me a nostalgia na alma, porque também eu passei por caminhos iguais. Hoje tudo está mudado...Tudo, menos os passarinhos, que esses vão continuando a cantar indiferentes ao avançar do progresso.
Bonito quadro.-Quero dizer, bonito poema..
Parabéns

RAMA LYON
De Dina Rodrigues a 25 de Fevereiro de 2008 às 23:00
Obrigado pelo seu comentário. Desejo-lhe que continue a encontrar pelos complicados caminhos da vida, ainda esses verdes caminhos com muita paz e muita alegria.
Felicidades!
De Anónimo a 1 de Maio de 2008 às 10:05
Passei desde os meus 7 anos até aos 14, as minhas férias de Natal sempre em Viseu, porque minha madrinha morava lá... mas nunca mais lá fui. Mas é bom saber que apesar das mudanças as pessoas retêem na mente, as lembranças. Gostei de a ver aqui!
fernanda rocha
De Anónimo a 2 de Maio de 2008 às 01:20
Obrigada pelo comentário!

Penso que deve voltar a Viseu, a Cidade está muito bonita e bastante diferente desse tempo em que lá ia.
Além disso, é sempre bom matar saudades dos tempos da infância!

Dina Rodrigues
De Salas de ruleta a 18 de Março de 2009 às 19:27
Me ha encantado tu poema, lleno de nostalgía y soledad por la infancia feliz en una aldea. Me ha dado ganas de conocer.
De carol a 3 de Novembro de 2010 às 16:42
parabéns muito bem.
que você mais e mais versos,
adorei o seu

by: carol lemo's
de carutapera

Comentar post

Site_Poesia_em_Rede

.Poemas a Concurso

. Poemas da Minha Terra - P...

. (87) Portugalidade

. (86) Na Minha Terra

. (85) Cidade do Porto

. (84) A Minha Casa

. (83) Minha Terra

. (82) A Minha Terra

. (81) A Minha Terra

. (80) Do Alto da Serra Alg...

. (79) Onde Penduro o Chapé...

. (78) Minha Terra, Aldeia ...

. (77) Coimbra

. (76) Daqui Eu Vejo

. (75) Numa Aldeia Adormeci...

. (74) Não me alcunhei de C...

. (73) Saudades de ti

. (72) Um dia na minha Terr...

. (71) "Há coxas nuas a cor...

. (70) Um Suspiro!

. (69) "O Mundo dos cheiros...

. (68) Arruda

. (67) Ilha Encantada

. (66) "A Minha Terra"

. (65) Terra de Portugal

. (64) Minha Terra Eurotupy...

. (63) A Madeira é um Jardi...

. (62) Terra Minha Jamais E...

. (61) Reminiscências e Coi...

. (60) Malanje, Minha Terra

. (59) São Fragâncias Única...

. (58) "A Minha Terra"

. (57) A Minha Terra

. (56) A Praça

. (55) Besteiras - Uma Pequ...

. (54) Moçambique

. (53) Oh terra minha de en...

. (52) Horizonte Brasileiro

. (51) Minha terra...

. (50) A Minha Terra

. (49) Praia das Pérolas Pe...

. (48) A Minha Terra

. (47) Ericeira - Meu berço...

. (46) No Vale dos meus Bar...

. (45) Uma Aldeia de Viseu

. (44) Segredos Revelados

. (43) Saudades da Arrábida

. (42) A Representação do M...

. (41) Espécie de fuga do m...

. (40) Homossexualidade Urb...

. (39) Figueira que dá Rosa...

.Mais Poemas a Concurso

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

.Projecto

blogs SAPO

.subscrever feeds

Contador de visitas
Contador de visitas