Sábado, 22 de Dezembro de 2007

(19) Dragonfly

Dragonfly

 

A minha terra tem mil contos,

conchas de lembranças, pessoas pérolas cor de libélulas.

 

A minha terra já foi tantas

e hoje de cores desfeita enfeita sonhos sua beleza,

de ser minha terra, ar, fogo de amor e memórias,

terra de carne, terra de tempo, de dias estendidos ao vento,

de léu, de viver contentamento

junto aos meus e dos outros

a nós, perdidos e loucos.

 

A minha terra quis ser minha e eu dela,

mas quando a terra vai tão fundo todo lugar é ela.

Quanta terra afunda a raiz desse galho onde pousa essa ligeira libélula?

Desterro foi seu nascimento e vôo o seu destino

                                               [pois de água e sol se fez seu desatino.

A minha terra é sua, só vir mais perto.

Vamos fazer desterro e abrigo, amor de lar e cansaço de caminho,

de querer ficar e sonhar com um desvio,

onde nascer e morrer é ser sozinho.

Pois sincera é a terra onde morro a cada instante,

onde nasce minha mãe e parentes distantes,

a construir castelos de contos gigantes.

Anos e anos cultivo meu voltar para lá de onde vir,
                                                [para dentro de tudo que é meu,

e minha terra, ah minha terra, é meu ultimo instante,

minha primeira e última alegria ela abraça sem saber quando finda ou inicia,

pois de amor e fruto é feita, e tão grande e densa

que não há lugar onde ela não inventa

uma sombra, um aconchego para acalentar seu dragão que voa.

 

Vimalo

publicado por poesiaemrede às 01:55
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De X. a 19 de Junho de 2008 às 06:05
Ladrão! Sei que não foi você quem escreveu esse poema! Por que não aprende a escrever, ao invés de copiar dos blogs alheios?

De J a 23 de Junho de 2008 às 19:13
X, Foram muitas risadas que valeram muito mais do que queria no principio... Nao ganhei os 150 EU que queria e precisava com esta poesia sobre terra feita por quem busca- e parece que vai buscar ainda algum tempo- uma terra. Mas estas tres silabas - Vimalo- se referem ao mesmo conteudo das outras tres silabas que voce conhece que autorou essa poesia no principio. ; ) ; ) ; ) Nice big joke! hahahhah Ladrona! hahahaha

Comentar post

Site_Poesia_em_Rede

.Poemas a Concurso

. Poemas da Minha Terra - P...

. (87) Portugalidade

. (86) Na Minha Terra

. (85) Cidade do Porto

. (84) A Minha Casa

. (83) Minha Terra

. (82) A Minha Terra

. (81) A Minha Terra

. (80) Do Alto da Serra Alg...

. (79) Onde Penduro o Chapé...

. (78) Minha Terra, Aldeia ...

. (77) Coimbra

. (76) Daqui Eu Vejo

. (75) Numa Aldeia Adormeci...

. (74) Não me alcunhei de C...

. (73) Saudades de ti

. (72) Um dia na minha Terr...

. (71) "Há coxas nuas a cor...

. (70) Um Suspiro!

. (69) "O Mundo dos cheiros...

. (68) Arruda

. (67) Ilha Encantada

. (66) "A Minha Terra"

. (65) Terra de Portugal

. (64) Minha Terra Eurotupy...

. (63) A Madeira é um Jardi...

. (62) Terra Minha Jamais E...

. (61) Reminiscências e Coi...

. (60) Malanje, Minha Terra

. (59) São Fragâncias Única...

. (58) "A Minha Terra"

. (57) A Minha Terra

. (56) A Praça

. (55) Besteiras - Uma Pequ...

. (54) Moçambique

. (53) Oh terra minha de en...

. (52) Horizonte Brasileiro

. (51) Minha terra...

. (50) A Minha Terra

. (49) Praia das Pérolas Pe...

. (48) A Minha Terra

. (47) Ericeira - Meu berço...

. (46) No Vale dos meus Bar...

. (45) Uma Aldeia de Viseu

. (44) Segredos Revelados

. (43) Saudades da Arrábida

. (42) A Representação do M...

. (41) Espécie de fuga do m...

. (40) Homossexualidade Urb...

. (39) Figueira que dá Rosa...

.Mais Poemas a Concurso

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

.Projecto

blogs SAPO

.subscrever feeds

Contador de visitas
Contador de visitas